Blog

Conteúdo Inteligente sobre Pilates e Wellness!


Quarta, 04 Janeiro 2017 23:07

Pilates no tratamento da artrose

Escrito por

A artrose é uma doença articular degenerativa que acomete a maior parte da população idosa, é a doença reumática mais comum, e em aproximadamente 35% dos casos a articulação acometida é a do joelho. Sua origem é multifatorial e sua evolução é variável, mas a dor articular e a degeneração da cartilagem hialina de revestimento articular são pontos certos no processo dessa doença.

Reforçando: Sua origem é multifatorial – Ou seja não é doença de “velho”, jovens também podem desenvolver artrose. O desgaste ocorre pelo aumento da carga sobre a articulação ou em parte dela e pode ser gerado por traumas, desalinhamento articular e até mesmo pelo envelhecimento.

Agora.... sabendo que a maior parte da população idosa desenvolve a artrose e que outros fatores geram essa doença também em jovens, você entende que precisamos saber tudo sobre seu processo e a melhor maneira para trata-lo?

Então que tal se aprofundar nessa importante patologia comigo!?

Primeiro ponto fundamental para um bom tratamento é saber a avaliar a osteoartrose, e para nós instrutores de pilates isso significa avaliar a dor, a funcionalidade da articulação e o fator causal.

Radiologicamente as 2 classificações mais utilizadas são as de Ahlback e a de Kellgreen e Lawrence ambas tem 5 graus de classe descritas no quadro abaixo.

Sérgio Silva Ávila - RBM Abr 11 V 68 N 4

Como é possível ver no quadro as classes levam em consideração o nível de acometimento articular, sendo que a primeira avalia em visão antero-posterior (AP) e perfil e a segunda apenas em AP. Além disso, a avaliação das classe I, II ou III de Ahlback são consideradas como fases iniciais e a de Kellgreen e Lawrence apenas os graus 1 e o 2.

E mecanicamente falando....

Chegamos em um dos fatores causais primários da degeneração. Isso mesmo!

O aumento da sobrecarga mecânica sobre o colágeno da cartilagem aumenta a produção de colágeno como uma reação de proteção, assim o corpo resiste....mas perde sua elasticidade e vai ficando mais espesso perdendo sua resistência para impactos... afinal você prefere pular numa cama estática ou no chão duro? Sua articulação também....

Tá... tudo isso é muito bonito mas e na prática, como podemos ajudar nosso aluno?

O reforço muscular é um dos objetivos principais durante o tratamento. Quando eu digo tratamento considero a prevenção também. Através do reforço muscular conseguimos diminuir a dor, aumentar a força muscular e a amplitude de movimento, facilitar as avds e melhorar a postura... Ops a postura tem a ver com uma artilação? Como falamos no início o joelho é um dos que mais sofrem a doença o quadril também é bastante acometido, e repare...eles são articulações de carga, suportam nosso peso. Imagine um aluno com escoliose por exemplo, ele tende a jogar seu peso mais pra um lado do que para outro, certo? Ai está!!! Tanto o joelho quanto o quadril vão receber uma carga maior em determinado dimidio.

- Importante: Durante a vida o ser humano tem uma perda de massa muscular.

Entre os 25 e 50 anos: É uma perda leve de aproximadamente 10% cerca.

Entre 50 e 80 anos: A perda acelera para cerca de 40%

Ou seja, com 80 anos a pessoa teve uma diminuição de massa pela metade (50%).

Assim fica claro que o reforço muscular é importante e será que o pilates é uma técnica indicada?

Sim!!! Estudos apontam que diversas atividades como a musculação, isostreching entre outras são indicadas mas o Pilates tem algumas vantagens como uma melhor manipulação da gravidade, da base de sustentação e comprimento de alavancas. Sendo assim o estudo sugere que o terapeuta tenha mais facilidade em conservar o gesto motor e manter a percepção do movimento com uma menor fadiga ao aluno. Boooa! Estamos no lucro então mãos a obra!

Última modificação em Quarta, 04 Janeiro 2017 23:45
Luma Gomes

Fisioterapeuta, Neurocientista da reabilitação física formada pela IBMR Laureate International Universities, Instrutora de Pilates fundadora e Proprietária da LC Studio. Iniciou o trabalho com Pilates desde 2009. Possui formação de Pilates, Pilates aéreo, workshops com diversas escolas e mestres internacionais e iniciação do AcroYoga. Desenvolve estudos sobre a estimulação sensorial aliada ao Pilates para populações especificas. Criadora da abordagem Funcional + 60.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Contato

Queremos te conhecer! Dúvidas, críticas, sugestões e agendamentos!

(21) 3477-4184

Newsletter

Acesso a PROMOÇÕES e Conteúdo Exclusivo.